Single Blog Title

This is a single blog caption

Leaders take good care of people, not clients

Esta semana vivi muitos momentos idênticos como Leadership Team Coach. Os diferentes lideres com que trabalho são a minha fonte de inspiração e a todos eles dedico este artigo.

O lider de uma empresa precisa de atingir hoje, 2019, outros niveis de consciência sobre a propria função.

Quando o líder se dedica a maior parte do seu dia ao relacionamento com o cliente, ou em servir o cliente, deixa uma enorme lacuna no processo global.

As competências de comunicação e relação deve ser investidas nas pessoas que servem os clientes. O líder tem que dar um salto quantitativo na forma  como observa, como interpreta, como pergunta e como orienta as pessoas.

Quando se chega a Lider de uma equipa, por norma, tem a ver com um passado com bons desempenhos ao nível da técnica.

Durante esse passado os próprios “novos” lideres quando fazem a transição também chegam à nova função sem a saber analisar desempenhos, sem saber olhar para o gap entre desempenho ideal e real.

O que mais ouço é.. “ Quando eu estava nesse lugar ninguém precisava de me dizer, eu sabia o que tinha que fazer…”

Esta é a visão mais turva… quando nos comparamos connosco em vez de olharmos para o que o contexto pede.

Ser bem sucedido passa por entender e aceitar o contexto. Viver no presente e perguntarmo-nos o que é preciso fazer hoje para eliminar o gap.

O caminho mais fácil, tem sempre a ver com os hábitos que incorporámos ao longo da vida. A parte mais dificil é deixar de fazer estas comperações e de fazer o trabalho dos outros e passar a entregar mais confiança.

Deixar de fazer e dizer como fazer, adoptando uma comunicação de responsabilização.

O dificil na liderança é comunicar de líder para líder.

Observo muitos líderes que adoptam o caminho mais fácil, falar como se fossem cliente para ensinarem algo aos seus liderados.

Não é a voz do cliente que serve a evolução de um liderado.

Essa é apenas a voz duplicada de algo que o liderado já ouviu. O que é preciso é uma voz que saiba fazer a ligação entre o que o cliente precisa e como é que o liderado tem que dar.

A ligação entre o ideal e o real. O que existe no meio? O foco é a ponte.

Estas devem ser as novas conversas e novas formas de observar.

Liderança não é uma posição, é uma função conectiva e coletiva!

Cristina Madeira, Team & Executive Coach.

PCC Credential ICF